Canção infantil



Era um amieiro.
Depois uma azenha.
E junto
um ribeiro.

Tudo tão parado.
Que devia fazer?
Meti tudo no bolso
para os não perder.

EUGÉNIO DE ANDRADE
de Poesia – Eugénio de Andrade, Primeiros Poemas, Ed. Fundação Eugénio de Andrade

voz - Cristina Paiva

sonoplastia - Fernando Ladeira

desvendado - Sofia Pereira

2 comentários:

  1. Eugénio de Andrade ;)

    Sofia Pereira

    ResponderEliminar
  2. Olá Sofia.
    Está certo, claro :)))
    Beijos
    Cristina Paiva

    ResponderEliminar